Categories: Evangelho, Mateus Tags: , , Leave a comment

(…) e um deles perguntou a Jesus, para experimentá-lo: Mestre, qual é o maior mandamento da Lei? (MT 22, 34-40)

reconhecidamente fazia o bem por onde andava. Todos ali sabiam que suas atitudes eram voltadas à cura, libertação e perdão. Era alguém que só vivia para a obra do Pai, mesmo assim, alguém o questiona, como que montando uma armadilha na sua caminhada.

Naquele tempo, os homens eram rígidos em relação à Lei de Deus. Acreditavam que “Amar a Deus sob todas as coias” justificava o esquecimento completo do mundo, desde que você estivesse com o coração voltado à Deus. Jesus, no entanto, fazia coisas que aparentemente não cumpriam esse mandamento, como: curar aos Sábados que era o dia dedicado ao Senhor, sentava à mesa com pecadores e livrava pessoas de espíritos ruins invocando a ajuda do Pai. Essas atitudes escandalizavam aqueles que, supostamente, guardavam com fervor a Lei de Deus.

O que não paravam pra pensar, é que Jesus era a própria personificação da Lei, pois amar ao próximo como a si mesmo, guarda o respeito à criação do Pai de maneira prática. É, portanto, aplicar a lei do Amor à Deus em primeiro lugar e sob todas as coisas através do amor ao próximo como a si mesmo.

Quantas vezes nos conformamos em rezar à Deus, pedindo coisas que achamos serem boas para nós, mas não somos capazes de pelo menos olhar o rosto daqueles que estão à porta passando necessidade? Quantas vezes, preferimos nos entregar à cegueira e nos convencemos de que somos bons, porque fazemos coisas boas, mas apenas aos nossos parentes e amigos? Quantas vezes, também nós, experimentamos a bondade de Deus, quando pedimos o favorecimento de nossos pedidos, em troca de oferendas que muitas vezes nem são espontâneas?

Reflitamos neste dia, como estamos encarando a Lei de Deus. De maneira limitada e conveniente como o saduceu, ou de maneira completa e desprendida, como fazia Jesus?

Carlos Amorim Junior

Partilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Carlos Amorim Junior

Católico por amor, Cristão em tempo integral, apaixonado pela família, Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão, postulante a acólito, formador de grupos de Batismo e Crisma ou simplesmente alguém apaixonado por Jesus que tenta à sua maneira, Evangelizar através da tecnologia.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.